Top
Foto contraluz do artesão de Ibitipoca tecendo um balaio de taquara.

Prepare-se para fazer as malas rumo a um lugar encantador! Se você ainda não conhece Minas Gerais, certamente vai se apaixonar! O 4º estado mais extenso do Brasil tem também o maior número de cidades: são 853 no total, incluindo não só pequenos municípios escondidos em meio às montanhas, mas também grandes e movimentados centros urbanos. Basta escolher, de acordo com o que mais lhe agrada.

Sete bons motivos para incluir Minas Gerais em seu roteiro

01) A História

Quando você ouve falar em Minas Gerais, é provável que já logo se lembre de alguma de suas cidades históricas, certo? Afinal, esses lugares sediaram importantes acontecimentos para o Brasil e o mundo, durante séculos. Dessa forma, se tornaram verdadeiros museus a céu aberto.

A exuberante arquitetura colonial e as construções com seus interiores ornamentados em ouro, são marcos da época em que os bandeirantes exploravam a região em busca de pedras e metais preciosos. Aliás, a rota mais procurada em Minas Gerais pelos turistas é exatamente a Estrada Real, por onde as riquezas eram levadas aos portos do Rio de Janeiro, para a Coroa Portuguesa.

Casa colonial no vilarejo de Conceição do Ibitipoca, vilarejo da Estrada Real

Casinha colonial, em Conceição do Ibitipoca, um dos vilarejos da Estrada Real | Foto: Mallê

Além disso, existem lugares que oferecem passeios de trem (como por exemplo de Ouro Preto a Mariana), o que proporciona uma viagem no tempo através das estradas de ferro, hoje pouco usadas no país.

02) Hospitalidade

As pessoas em Minas Gerais são muito acolhedoras. Sempre disponíveis para uma boa prosa, assunto é o que não falta! São solícitas para prestar informações, e estão dispostas a compartilhar segredos sobre as cidades que às vezes os melhores guias turísticos não saberiam!

Menina do Vale do Jequitinhonha abrindo a porta.

O povo mineiro, sempre de portas abertas | Foto: Mallê

A hospitalidade é característica inerente a todo mineiro. Então, você pode ficar hospedado na casa de algum morador local onde estiver, por meio do Couchsurfing, ou ainda escolher entre incontáveis pousadas e hotéis. Seja como for, você se sentirá em sua própria casa, e terá bons amigos para a vida inteira!

Ainda que você viaje sozinho, esteja certo de que terá companhia para momentos inesquecíveis, e que dificilmente vai encontrar tamanha receptividade em outro lugar do mundo!

03) Belezas Naturais

Minas Gerais não tem mar. Mas tem vales e montanhas, rios e cachoeiras, e uma infinidade de riquezas naturais. Assim, nem há tanto o que dizer sobre isso… Decerto você vai notar quando chegar.

Gilberto observando a Cachoeira do Barão, no município de Gouveia, em Minas Gerais

Gilberto na Cachoeira do Barão, em um distrito de Gouveia-MG | Foto: Mallê

04) Cultura

Terra de tradições populares, manifestações culturais e religiosas, Minas Gerais é berço de celebrações milenares! A cultura é o DNA de um povo, que aqui é expresso através da dança, do canto, das vestes. Esses costumes são passados de geração em geração, sobretudo através da oralidade.

Grupode Marujada da cidade de Felício dos Santos, em Minas Gerais

Grupo de Marujada de Felício dos Santos – MG | Foto: Thiago Kling

As benzedeiras com seus rosários nas mãos e um galhinho de arruda trazem leveza e paz com suas preces. Mesmo que você não tenha religião. Ou seja outra a sua fé. De frente para seus altares improvisados, dentro de suas casas de pau-a-pique, tudo o que emanam é boa energia…

Os festivais sobrevivem! Grandes músicos ainda sobem aos palcos com suas violas e fazem arrepiar a alma. As vozes também ecoam na beira dos rios, enquanto as lavadeiras cumprem seus afazeres.

Show do músico Pereira da Viola

Pereira da Viola em show no maior festival de cultura do Vale do Jequitinhonha | Foto: Thiago Kling

Existem lugares que embora estejam ainda intocados pela tecnologia, vivem imersos na sabedoria ancestral. onde se sabe as horas pela sombra da casa no terreiro, as crianças chegam ao mundo pelas mãos de parteiras, e para qualquer enfermidade se conhece a erva certa, colhida na própria horta.

05) Artesanato

A arte mineira é inegavelmente apaixonante! Bordados, fuxicos, esculturas feitas ou do barro ou talhadas em madeira, e uma infinidade de outras coisas.

Mestre Antônio fazendo tambores artesanais.

Tambores artesanais | Foto: Mallê

A região do Vale do Jequitinhonha, por exemplo, é rica por suas comunidades onde mulheres sustentam a casa com a venda de suas cerâmica. As peças conhecidas e premiadas internacionalmente, retratam o dia a dia. As bonecas são símbolo da região, que viu sua realidade transformada por causa do artesanato.

Bonecas de barro feitas por artesãs do Vale do Jequitinhonha

Bonecas de barro, símbolo do Vale do Jequitinhonha | Foto: Mallê

06) Culinária

Basta lembrar da cozinha mineira para abrir o apetite. Mesas fartas de dar água na boca! Pratos de aromas e sabores inconfundíveis, que são experiências completas, muito além do paladar

Em 2015, a gastronomia de Minas Gerais um dos destaques da Expo Milão, onde chefes do estado assinaram o menu servido no evento. Mas não é preciso ir tão longe: atualmente, acontecem renomadas feiras gastronômicas, como o Comida de Boteco em Belo Horizonte, e o Jequisabor em várias cidades do Vale do Jequitinhonha.

A mistura perfeita dos sabores, história e ancestralidade, aliados ao amor por servir bem são características marcantes. Quem chega de outros estados, logo percebe que por aqui, quem chega entra pela porta da cozinha. E é onde o famoso pão de queijo te espera!

07) O “jeitim” mineiro de falar

Quase tido como um dialeto ou até mesmo um novo idioma, o “mineirês” (como ficou conhecido o jeito do mineiro falar) pode ser difícil de ser compreendido num primeiro contato.

Quase toda palavra fica pelo meio: li de leit (litro de leite), ki de carn (quilo de carne)… E às vezes, um toque de manha, falando tudo no diminutivo quando quer agradar com um queijim, um cafezim, ou um docim depois do almoço.

Dizem que mineiro come pelas beiradas (não corre, é tranquilo), mas quando está com pressa, fica ainda mais difícil entender: “Ô moss, cê sá cês onz vapasavass?” (Ô moço, você sabe se esse ônibus vai para a Savassi?).

Qualquer coisa é trem. E para explicar o que é uai… Bem, uai é uai, uai!

 

Independente de qualquer outro motivo, o que faz Minas ser tão especial é seu povo, sua gente! Pessoas de garra, que acordam cedo pra fazer o futuro acontecer. Gente que sorri, que canta e celebra a vida como ela é.

Retrato de Mestre Antônio, artesão e tambozeiro de Minas Novas

Mestre Antônio dos tambores, da cidade de Minas Novas – MG | Foto: Gilberto

O mineiro é como um livro. Mesmo que seja tímido, de jeito matuto, ressabiado, é capaz de te contar muitas histórias, só com a força do olhar.

Por isso, quando passar por Minas Gerais, pratique a “escutatória” do povo. Poucas vezes na vida você vai ter uma experiência tão rica de detalhes e verdades, de forma simples e genuína.

Mineira do Vale do Jequitinhonha, é apaixonada por tradições populares. De alma nômade e pés inquietos, sonha poder conhecer o mundo todo e suas diversas manifestações culturais.

%d blogueiros gostam disto: