Memorial Zacarias: homenagem ao humorista na cidade de Sete Lagoas

Memorial Zacarias em Sete Lagoas

Enquanto eu passeava pelas ruas de Sete Lagoas, soube que esta era a cidade natal do Zacarias, humorista que fez parte do famoso quarteto “Os Trapalhões”, na década de 80. Então, aproveitei para visitar seu singelo museu: o Memorial Zacarias, no Centro Cultural Nhô Quim.

Quem estava por trás do personagem?

Mauro Faccio Gonçalves: esse era, afinal, o verdadeiro nome do Zacarias. Filho de Mariano Gonçalves e Virgínia Faccio, ele era o mais velho de onze filhos. Nasceu em 18 de janeiro de 1933, na cidade de Sete Lagoas, onde era conhecido como Bidu (apelido que ganhou dos familiares).

Mauro foi locutor, ator, comediante e humorista. Desde pequeno, já mostrava seu lado artístico com teatrinho de quintal, usando materiais de sua casa e roupas da família para representar em suas brincadeiras.

Em 1954, ingressou na Rádio Cultura em Sete Lagoas. Três anos depois, mudou-se para Belo Horizonte para estudar arquitetura, mas deixou o curso após poucos meses para trabalhar em programas humorísticos da Rádio Inconfidência. Foi convidado para trabalhar na TV Itacolomi, também em BH, onde foi destaque em menos de um ano.

Em 1963, convidado por Manuel da Nóbrega, foi para a TV Excelsior, no Rio de Janeiro. Aliás, nessa época, ele passou a morar no RJ, e viajava de lá para São Paulo, para participar também da Praça da Alegria (que depois tornou-se “A Praça é Nossa”).

Em 1965 foi trabalhar na TV Tupi. Participou de diversas dublagens de filmes estrangeiros, produzindo vozes de todos os tipos e imitações de personagens de desenho animado. Produzia arranjos e, por fim, complementava com peças teatrais.

Em 1970, ainda na TV Tupi, participou da peça A Dama do Camarote. Seu papel era secundário, mas tornou-se peça chave do espetáculo quando ganhou o seu prêmio como ator revelação.

Nasce o Zacarias

Mauro criou o personagem Moranguinho, um garçom muito engraçado que aprontava mil confusões para atender aos fregueses de um bar, já de perucas e os dentes pintados. Com efeito, chamou a atenção de Renato Aragão, que o convidou para integrar o grupo Os Trapalhões.

Fotos de Mauro no Memorial Zacarias
Mauro vestindo seus personagens (à esquerda) e descaracterizado (à direita) | Foto: Mallê

Como Zacarias, Mauro chegou ao sucesso em nível nacional e internacional. Participou de mais de 150 shows em diversas cidades e nas capitais brasileiras, bem como de filmes e propagandas de televisão.

Problemas de Saúde

Mauro estava se achando fora de seu peso normal. Foi quando resolveu iniciar, por conta própria, um regime a base de remédios. Além disso, substituiu suas refeições por frutas e saladas.

Conforme ele perdia peso, a mídia espalhava boatos de que ele estaria com AIDS. Ele se preocupava com as crianças que acompanhavam seu trabalho, e ficou triste com as informações falsas.

Mauro passou por situações de cansaço físico devido ao seu emagrecimento. Infelizmente, devido ao regime e uma posterior infecção pulmonar, no dia 18 de março de 1990, Mauro faleceu.

Seu último show ao vivo foi em dezembro de 1989, na cidade de São Luiz, Maranhão. O humorista é lembrado até hoje, pois Zacarias é eterno.

Memorial Zacarias

Sete Lagoas preserva um acervo em homenagem ao artista, com suas roupas e sapatos coloridos, as perucas que utilizava em suas apresentações, fotos de sua carreira, documentos como certidões de nascimento e de óbito, diplomas, além de medalhas, troféus e prêmios recebidos durante sua carreira.

Documentos, medalhas e diplomas que Mauro recebeu ao longo da vida.
Documentos, medalhas e diplomas que Mauro recebeu ao longo da vida | Foto: Mallê

Quando estive lá, era tudo muito simples: apenas uma sala pequenininha dentro do casarão histórico do Centro Cultural Nhô Quim, com três móveis onde todas as peças ficavam expostas. Recentemente, li notícias de que tanto o espaço do Memorial Zacarias quanto o acervo seriam ampliados. A família, inclusive, doaria novos itens à coleção.

Roupas e sapatos coloridos no Memorial Zacarias
Roupas e sapatos coloridos que Mauro usava como Zacarias | Foto: Mallê

Visitar o Memorial Zacarias é inegavelmente diferente. Faz lembrar de alguém que estava presente na infância, sem que estivesse de fato. É confuso, eu sei. Mas é bem isso. Como se tivéssemos a oportunidade de reencontrar alguém da nossa infância, mas chegássemos atrasados.

Informações sobre Memorial Zacarias

Centro Cultural Nhô Quim Drummond (Casarão)
Praça Tiradentes, 257, Centro, Sete Lagoas/MG
De 8 às 22h – Visita Gratuita