Top
Muda de pitangueira

Uai! Esse blog não é de viagem? É sim. E pra nós, nada faz mais sentido do que cuidar do mundo que queremos conhecer! Por mais que pareça óbvio, muita gente ainda não entendeu que para dar a volta ao mundo, precisamos, antes de tudo, de um mundo! Quando viajamos a algum lugar, temos feito de tudo para causar o menor impacto possível. E enquanto estamos em casa, também nos preocupamos com isso. Uma das alternativas que encontramos foi a compostagem caseira.

Recentemente postamos aqui uma matéria com fotos de viagem que ninguém mostra, alertando sobre o preocupante descarte incorreto de lixo, e como isso tem afetado inclusive importantes pontos turísticos.

A gente adora compartilhar dicas sobre novos destinos. Porém, nada mais justo do que usar da nossa rede para alertar sobre os riscos que nosso consumismo desenfreado oferece para o planeta. Estamos colocando sob ameaça cenários paradisíacos, nossos parques, cachoeiras e praias. E tudo isso pode ser evitado, através de atitudes simples. Uma delas, é o hábito da compostagem caseira.

O que é Compostagem?

O lixo que a gente produz pode ser inorgânico ou orgânico. No caso do lixo inorgânico, algumas pessoas separam para reciclagem. Já o lixo orgânico, é mais comumente descartado, por considerarem que ele não pode ser reutilizado.

A compostagem é uma forma de fazer com que o lixo orgânico possa ser reaproveitado, diminuindo assim a quantidade de resíduos descartados no meio ambiente.

Bactérias, fungos, minhocas… Todos trabalham para decompor a matéria orgânica. Nesse processo, o que era lixo se transforma em humus, um composto riquíssimo em nutrientes, usado como adubo para plantas!

Por que fazer compostagem caseira?

Restos de alimento, de frutas e vegetais, embora se decomponham mais rápido do que materiais inorgânicos, ainda assim causam um impacto gigantesco na natureza. Só a América Latina descarta, por dia, 145 mil toneladas de lixo orgânico em aterros! Repito: D-I-A-R-I-A-M-E-N-T-E! Imagina só se a gente contabilizar o lixo do mundo inteiro?

A maior parte do lixo que produzimos ainda vai parar em aterros. Isso é catastrófico! Gases são liberados na atmosfera, o lençol freático e os rios são contaminados, espécies animais são intoxicadas e morrem, causando desequilíbrio na cadeia alimentar.

Gráfico mostra o Índice Mundial de Reciclagem
Destino do lixo mundial | Fonte: Banco Mundial

Esse assunto, portanto, deveria ser amplamente discutido, principalmente por viajantes, que querem conhecer outros países, outros estados… Com tanta gente pra lá e pra cá, se não estivermos atentos a essas problemáticas, não vai restar nada!

Nós, como verdadeiros apaixonados pelo mundo, estamos abrindo nossos olhos. Cada destino, cada hóspede do Couchsurfing, tudo na viagem nos ensina um pouquinho. Por isso, estamos em busca de alternativas para diminuir o lixo que produzimos. Além de aderir à separação do lixo, começamos a fazer compostagem caseira. Apesar de parecer muito trabalho, o processo é bem simples! E pode ser feito usando apenas duas garrafas pet.

Compostagem Caseira com Garrafa Pet

Na internet, existem inúmeros tutoriais de como fazer uma composteira em casa. Geralmente, são usados baldes grandes. Quando morávamos em Ibitipoca, tínhamos uma composteira de “três andares”, mas que não coube na nossa mudança, então doamos a um amigo. Chegando na nossa nova casa, não encontramos recipientes grandes que fossem adequados. A alternativa foi usar garrafas pet.

Fica pequena, no entanto, funciona bem. Sem contar que é super didática para ensinar às crianças, já que a garrafa transparente permite acompanhar o processo (deixe a composteira em local escuro, e retire eventualmente para observar).

Material Necessário

– Duas garrafas pet
– Fita adesiva
– Tesoura
– Terra ou serragem
– Restos de frutas e legumes (lixo orgânico)
– Minhocas

Material necessário para confeccionar composteira caseira de garrafa pet.
Material necessário para confeccionar composteira caseira de pet | Foto: Mallê

Passo a Passo:

01) O primeiro passo é preparar as garrafas. Uma delas deve ser cortada ao meio; vamos usar a parte de baixo (na foto acima, é a garrafa verde).

02) A outra, vai ser usada inteira, com algumas modificações: corte o fundo, mas sem removê-lo totalmente. Deixe uma pequena parte, para que permaneça unido à garrafa.

Preparando garrafa para compostagem caseira.
Preparando a segunda garrafa | Foto: Mallê
Compostagem caseira com garrafa pet
O fundo pode ser aberto, mas continua preso à garrafa, como uma tampa | Foto: Mallê

3) Faça um ou mais furos na tampa da garrafa com a ponta de uma faca quente. Cuide para que não fique muito grande, para não passar terra, pedaços do lixo orgânico, ou até mesmo as minhocas.

Composteira de garrafa pet.
Furo na tampa da garrafa para escoar o húmus líquido | Foto: Mallê

04) Depois de preparar as garrafas, basta montá-las. A base será feita com a garrafa que foi partida ao meio. Coloque a garrafa inteira encaixada nela, com a tampinha para baixo, como na foto a seguir. Para que não solte com facilidade, prenda com fita adesiva, de modo que possa ser aberta depois (se ficar bem encaixadinha, pode deixar sem a fita).

Como encaixar as garrafas para fazer composteira de pet.
Encaixe das garrafas | Foto: Mallê

5) Comece a colocar os elementos dentro da garrafa, pelo fundo cortado. O ideal é que primeiramente sejam colocadas algumas folhas secas, para permitir que o furo da tampinha não fique entupido. Outra ideia é colocar partes grandes de casca de ovo, como nós fazemos aqui em casa.

Compostagem caseira
As cascas de ovos ou pedriscos servem para ajudar a escoar o húmus líquido | Foto: Mallê

6) Coloque o lixo orgânico dentro da garrafa, intercalando com matéria seca. Pode ser esterco de vaca triturado, folhas, ou serragem. Nós usamos um pouco de terra seca mesmo; só não colocar muito. Um detalhe importante sobre a serragem: não pode ser de madeira tratada com produtos químicos, ou com resíduos como tinta e verniz.

7) Agora, basta adicionar algumas minhocas e fechar a garrafa. Não precisa lacrar o fundo, apenas deixá-lo bem encaixadinho. Pode colocar um pedacinho de fita adesiva pra manter, com alguma entrada para ar.

Minhoca californiana
Minhocas californianas | Foto: Mallê

Minhocas Californianas

Quando começamos a fazer compostagem caseira, pegamos algumas minhocas que encontramos na horta (daquelas comuns, que pulam feito loucas) e colocamos nos baldes.

Pesquisando um pouco mais, descobrimos que as minhocas californianas são melhores para manter em composteiras. Elas são beeeem tranquilinhas; não saltam nem nada. Têm uma coloração mais avermelhada/rosada, e a parte de baixo é achatada.

Elas são melhores porque consomem uma quantidade maior de matéria orgânica por dia, produzindo humus mais rápido. Além disso, se perceberam que há bastante espaço e alimento disponível, se reproduzem rapidamente! Ganhamos algumas de um amigo. Antes de doar nossa composteira de baldes, pegamos 2 minhocas californianas. Em dois meses, eram 30!

Em pouco tempo, aparecem diversas “bolinhas” na terra. São os ovinhos de minhoca. De cada ovinho nascem, em média, de 3 a 7 minhocas. Essa matéria da Superinteressante mostra como as minhocas se reproduzem.

O que não colocar na composteira?

No início da nossa aventura com a compostagem caseira, fizemos muitas coisas erradas, e perdemos inúmeras minhocas com isso. Por sorte, sobraram algumas para que a gente aprendesse melhor.

Além de evitar que a terra fique seca demais ou encharcada, é preciso ter cuidado com o que colocamos na composteira. Evite colocar restos de comida com muita gordura, ou temperos fortes. Alho e cebola não são boas escolhas. Tomate deve ser colocado em quantidades mínimas (se puder evitar, é ainda melhor).

De modo geral, evite colocar matéria orgânica que deixe o ambiente ácido, como frutas cítricas (laranja, limão, abacaxi) e vegetais como pimentão.

As minhocas gostam de ambiente de pH mais neutro. Quando começa a ficar ácido, elas tendem a fugir, e se não conseguirem, podem até morrer. Ahh! Esse é mais um motivo para evitar moscas também! Elas colocam ovinhos, e logo aparecem larvinhas, que também deixam o ambiente ácido.

Seja mudança!

A gente sabe que o dia a dia é corrido. Por aqui não é diferente… Trabalho, casa, filho, etc (ainda inventamos de ter um blog!). Mas começando devagarzinho, vira hábito, cai no automático. Depois que entrar para a rotina, nem vai mais dar tanto trabalho.

No final, você vai ter evitado de jogar mais lixo no mundo, e ainda vai ter o melhor adubo pras suas plantinhas. Não tem plantas? Que tal vender o humus ou dar de presente para alguém que tem jardim ou horta?

A gente espera que depois desse post, você se anime a dar o primeiro passo! Se precisar de uma mãozinha, é só falar!

Mineira do Vale do Jequitinhonha, é apaixonada por tradições populares. De alma nômade e pés inquietos, sonha poder conhecer o mundo todo e suas diversas manifestações culturais.

%d blogueiros gostam disto: